Submeter Ideia
Topo

71 anos ao serviço dos cidadãos

71 anos ao serviço dos cidadãos

Comemoram-se hoje os 71 anos da Polícia Judiciária (PJ). A PJ que hoje conhecemos teve o seu início em 1867, criada por D. Luís, e então intitulada Polícia Cívica. Dependia da Justiça do Reino e tinha “a seu cargo descobrir os crimes ou delitos ou contravenções, coligir provas e entregar os criminosos aos tribunais”.
Já aqui escrevemos sobre o Edifício Sede da Polícia Judiciária em Lisboa (Parte 1, Parte 2), agora damos apenas um pequeno enquadramento do caminho que esta força policial de referência tem vindo a percorrer.
Foi já em 1927, que os Serviços da Polícia de Investigação foram transferidos para o Ministro da Justiça e dos Cultos ainda hoje permanecendo como importante órgão de coadjuvação das autoridades judiciárias, Magistratura Judicial e Ministério Público
Em outubro de 1945, após reestruturação geral da Polícia em Portugal, é criada a Polícia Judiciária, tal como hoje existe, integrada organicamente no Ministério da Justiça, em substituição da Polícia de Investigação Criminal (PIC).

É em 1977 que acontece a primeira grande reestruturação da PJ, definindo-a como “um serviço de prevenção e investigação criminal, auxiliar da administração da justiça, organizada hierarquicamente na dependência do Ministro da Justiça”.
Seja no combate ao banditismo, no combate ao tráfico de estupefacientes, na investigação de corrupção, de fraudes ou de infrações económicas e financeiras, a PJ conseguiu acompanhar as exigências dos tempos tem vindo a afirmar-se, pelo seu rigor e elevado profissionalismo, um importante parceiro tanto na esfera nacional como internacional.
Desde 1996, altura em que foi criada e integrada na PJ a Unidade Nacional Europol, que assegura as ligações com a Europol na cooperação operacional em matéria de combate ao tráfico de droga, assente na partilha de informação, na cooperação entre forças, na coordenação operacional e na intervenção conjunta.
Em 2000 dá-se a reforma da estrutura policial nacional, com a aprovação da Lei de Organização da Investigação Criminal (LOIC) e, em consequência, a segunda reestruturação da Polícia Judiciária – veja mais no site da Polícia Judiciária