Submeter Ideia
Topo

Tribunal Mais, Espaço Óbito e Portal da Justiça desenvolvidos com metodologias de experimentação

Tribunal Mais, Espaço Óbito e Portal da Justiça desenvolvidos com metodologias de experimentação

Desde que foi lançada a estratégia de modernização e de transformação, com o Plano de Ação Justiça mais Próxima, que têm vindo a ser desenvolvidos projetos usando metodologias de experimentação.

Estas metodologias (nomeadamente de design de serviço), são focadas num modelo em que se procura obter um resultado mais centrado na procura e necessidades diretas dos Cidadãos. O objetivo é o de experimentar antes de aplicar, correndo menos riscos na execução de projetos. Estas novas formas de trabalho geram poupanças tanto a nível financeiro como de recursos humanos. Trata-se de uma nova forma de trabalhar na Administração Pública, liderando metodologias totalmente inovadoras.

O projeto mais emblemático onde está a ser utilizado este modelo é o Tribunal+. Começou por ser realizado um piloto no Tribunal de Sintra, estendendo-se posteriormente a mais tribunais da Comarca Lisboa-Oeste. Neste projeto, para a construção tanto conceptual como física do espaço de atendimento comum ao público, o Balcão+, os utentes e funcionários estiveram envolvidos, reforçando o valor do conhecimento que acrescentam ao projeto. O objetivo é o de ir testando e melhorando de forma sucessiva o modelo de atendimento.

Veja o vídeo sobre a construção de um protótipo de Balcão + pensado pelos próprios funcionários do Tribunal.

O segundo projeto com uma metodologia experimental foi aplicado no projeto de prototipagem “Espaço Óbito“.
Este projeto que pretende reunir num único ponto de atendimento um conjunto de serviços públicos e privados a que é necessário recorrer após o falecimento de um familiar, num modelo de atendimento integrado com resposta para a maioria das necessidades de interação do cidadão diferentes serviços.

O Espaço deverá desta forma apresentar-se como uma solução centrada no seu utilizador, materializada em processos e espaços físicos de características humanas.

Para este projeto está a ser utilizada uma metodologia de experimentação, característica de projetos de Laboratório, que hoje já existe em alguns países, e que em Portugal estão inseridos no LABX, o Laboratório de Experimentação da Administração Pública, que junta diferentes áreas e entidades. O objetivo é o da experimentação focado em design de serviços, ou seja, focado num problema e numa reeposta pensada a partir da observação e entrevistas a Cidadãos, tendo sido realizadas mais de 80 entrevistas e de mapas que relatam as diferentes experiências dos Cidadãos .

A fase de experimentação incluiu um protótipo com atendimento real que decorreu no Espaço Registos em Lisboa, num período de 10 dias e que terminou em março. A versão final de atendimento deverá abrir no segundo semestre de 2017.

Conheça mais sobre o projeto e metodologia no video em destaque no artigo.

Finalmente outro dos projetos mais emblemáticos e transversais da Justiça é o Portal da Justiça. Este será um ponto único de contacto com as diferentes áreas e serviços da Justiça, oferecendo diferentes serviços informativos e transacionais, assim como guias explicativos, novidades e também informação focada num modelo aberto de transparência, com informação e de participação na Justiça. Muito em breve será lançado este projeto que também estará focado num modelo ágil de melhoria contínua, obtida a partir da opinião, comportamento, estatísticas de utilização e resultados do Portal.

Para o sucesso destes 3 projetos e de novos que vão surgir em breve, contamos com todos!