Submeter Ideia
Topo

CEJ Tag

Juntar no mesmo artigo Poesia e Justiça não será muito habitual. Cruzar a linguagem algo hermética da comunidade jurídica com a musicalidade da poesia pode parecer um exercício difícil. Mas o Centro de Estudos Judiciários (CEJ) apostou no desafio e quer trazer para o seu Plano de Formação 2016-2017 a emoção ligada às palavras. No Dia Internacional da Poesia, que se comemora hoje, o Auditório do CEJ, na antiga cadeia do Limoeiro, abre as portas a um...

Desde a sua criação, em 1979 (Decreto-Lei n.º 374-A/79, de 10 de Setembro), que o Centro de Estudos Judiciários (CEJ) foi reconhecido como estabelecimento dotado de personalidade jurídica, tendo como principal missão a formação de magistrados. Seja através da formação inicial de magistrados portugueses ou de países estrangeiros, seja através de protocolos de cooperação com outras entidades, através de projetos internacionais, de cursos de aperfeiçoamento para funcionários na área da justiça, ou ainda na área de investigação,...

Há programas que acolhem projetos para unir pessoas, que partilham espaços, que evoluem, que criam novos espaços, que transformam. São mais que números de sucesso. É mudança de mentalidades, é abraçar a forma positiva como precisamos olhar e agir. É ensinar a mudar. É difícil mudar. É mais difícil ainda quando mudar implica ir contra tudo o que se sabe, com que se vive em casa, na escola, na rua. Ir contra o que se conhece. Mas não só. Os testemunhos são...

local responsável pela formação de magistrados judiciais e do Ministério Público abriu as portas para receber, até ao próximo dia 23 de setembro, a Exposição Comemorativa dos 50 Anos do Código Civil no seu regresso a Lisboa. No passado dia 15 de setembro, por ocasião da abertura solene do 32º Curso de Formação de Magistrados para os Tribunais Judiciais e do 4º Curso de Formação dos Juízes dos Tribunais Fiscais e Administrativos, e à semelhança do que...

De residência real no reinado de D. Afonso III o edifício hoje conhecido por albergar o Centro de Estudos Judiciários guarda na sua história um período em que, em finais do século XV, o Paço do Limoeiro – assim chamado por alusão a uma árvore que aí existia –, passa a funcionar como cadeia no piso inferior e tribunais nos pisos superiores....